Not In The Mood For V.I.P.s – Pessoas em Alta Definição

Spread the love

 

Não sei vocês mas de uma hora para outra olhei ao redor e vi que quase todos os meus amigos estão vivos a base de Rivotril (medicamento da gigante Roche que pertence a classe farmacológica conhecida como benzodiazepinas, que tem como principais propriedades inibição leve das funções do sistema nervoso central permitindo assim uma ação anticonvulsivante, alguma sedação, relaxamento muscular e efeito tranqüilizante) em outras palavras, calmante.

O que mais chama atenção é essa massa de gente bem distinta sob uma mesma medicação – será que todos são iguais ? Será que todas essas pessoas estão sofrendo de um mesmo mal e reagindo iguaiszinhas para que precisem tomar um mesmo medicamento, uma mesma dosagem ?

O principio ativo da medicação clonazepam é indicado normalmente como ansiolítico geral (família de remédios que tratam de distúrbios de ansiedade) e também para: Síndrome do Pânico, Distúrbio Bipolar, Agorafobia, Depressão (como coadjuvante de antidepressivos, pois estes, geralmente causam insônia) e Distúrbios do Sono. Quando analisamos suas indicações vemos uma paleta de cores bem próximas, já que denominações de doenças e males psíquicos são sempre nebulosas.

Que fique bem claro aqui que sou um fã da ciência e principalmente, do desenvolvimento de drogas que dão suporte psiquiátrico, acredito muito nisso e sei que boa parte delas funcionam com pouco ou nenhum risco. O que me leva a escrever aqui é a monocultura do Rivotril e seus efeitos. Pode-se levantar, como já vi algumas vezes, que o Rivotril é a droga que trata dos problemas atuais inerentes a maioria das pessoas. Será ? Será que se eu colocar 1000 pessoas olhando para um mesmo objeto, TODAS terão a mesma visão e compreensão do mesmo ? Acho bem questionável.

 

Uma droga inibidora como o Rivotril permite que pessoas impulsivas, compulsivas e obsessivas possam aprender a domar seus instintos e contar até 10 antes de fazer alguma coisa. E nem me preocupa a idéia que alguns levantam que o efeito a longo prazo é que a droga tome controle da pessoa e essa deixe de ser ela mesma, não, não é isso mesmo ! Me preocupa a idéia de uma droga inibidora sendo usada em massa, como se fosse a nova Coca Cola Light Plus com Vitaminas.

Praticamente em qualquer grande centro do Brasil, você consegue gratuitamente o medicamento basta você se dirigir a um Hospital Psiquiátrico e falar que tem alguns dos sintomas que lhe prescrevem na hora e você leva para casa 2 caixas de Rivotril. Isso não é tratamento. Isso é envenenamento. A droga ajuda mas sem terapia ela cria dependentes, pessoas intoxicadas de inibidores sem meios de reagir, sem encontrar definições e nem uma porta de saída.

 

A porta que eu gostaria de abrir com esse artigo é de encorajar as pessoas a procurar tratamento medico ou terapêutico diante do que lhes aflige mas que sejam mais cuidadosas em procurar um bom medico e uma terapia adequada. As possibilidades com medicamentos são infinitas portanto sem aprofundar um diagnostico (via terapia) é impossível prescrever uma medicação que realmente sirva de suporte e resolva no menor tempo possível com o menor ônus. A ciência avança em alta definição de imagem e som, avança na compreensão do funcionamento e drogas são criadas diariamente visando o bem estar e a solução de problemas graves mas e as pessoas ?

Onde estão as pessoas em alta definição, correção de brilho e contraste, luz e imagem, controle de cores vivas ? Enquanto a ciência avança a sociedade desmorona todos se enxergam borrões e borrados estão, e borrados ficam. A compreensão a cerca dos sentimentos é borrada e divide-se em : “to legal” ou “não to legal”. O dia em que isso quiser dizer alguma coisa, me acordem. Ainda vivemos num mundo onde: Triste é deprimido. Mau caráter é bipolar. Síndrome de Pânico é viadice emo. Agorafobia é falta de surra quando moleque.

 

E não ! Definitivamente não ! Rivotril não é a droga mais divertida. Existem infinitas outras, poderia citar algumas… mas a melhor droga entre todas que já experimentei, a mais poderosa delas, a química mais perfeita de todas… é passar por aquela porta iluminada, ver os problemas ficando para trás, receber aquele arrepio que percorre todo o seu corpo, cheio de orgulho de ter superado, aprendido e daquele dia em diante você será mais justo e feliz com você mesmo e com todos que encontrar pelo caminho.

A depressão (as vezes) é se sentir derrotado antes da derrota tendo todas as chances de vencer.

A felicidade é sempre uma decisão no presente, é você quem decide ser feliz, não depende de nada e nem ninguém.

  • Olha, eu nunca tinha lido algo que traduzisse tão bem o que eu penso em relação aos diagnósticos de depressão. Fui diagnosticada ainda criança com depressão e aos 16, comecei a ser medicada. E eu sei o quanto é triste depender disso para ser possível o convívio social. As pessoas deveriam parar de achar que é cool ter depressão e tomar remédios. Pois, quando realmente temos, só assim é possível ver o quanto sofremos com isso. Obrigada mesmo por esse texto.